“Porque apesar da sua cara de brabo, você é tão fácil, tão leve, tão solto, tão tudo que eu sempre quis.” — Gabito Nunes.   (via enoitecer)

“Eu sou sua e eu serei sua até que as estrelas caiam do céu. Sua até que os rios sequem, em outras palavras, até eu morrer. Eu sou sua e eu serei sua até que o sol não brilhe mais. Sua até que as rimas dos poetas se esgotem, em outras palavras, até o fim dos tempos.” — Arctic Monkeys. (via riotorto)

“Feche os olhos,
Se jogue em meus braços,
Me abraça forte,
Me faça sorrir,
Tu és minha sina.” — Joana Fernandes   (via afetuar)

“Você não precisa compreender os meus atos, decifrar as minhas palavras ou buscar sempre um porquê nas coisas que faço. Não vou te obrigar a me entender, pois sei o quanto é complicado. Apenas me aceite, não me limite, não me compare.” — Capitule. (via riotorto)

“Caráter devia vir estampado na testa, como uma marca de nascença impossível de não se notar. Tão exposta aos olhos alheios quanto a cor da pele ou o contorno dos lábios. Assim, para todo mundo ver e ninguém acabar decepcionado, afogado em mágoas dizendo que nunca imaginou que tal pessoa poderia ser assim. Para ninguém terminar injustiçado, julgado por algo que não é. Devia vir como carimbo: sinal vermelho, não confie. Sinal verde, abrace e não permita que vá embora pois anda em falta no mercado. Infelizmente, a única coisa visível a olho nú e ingênuo é a simples aparência, sem nota ou carimbo na pele. Olhos que desviam verdades e sorrisos que manipulam mentiras. Mãos que puxam e, logo em seguida, empurram. Nada mais do que rostos guardando os verdadeiros traços por trás da epiderme. E aí, dá nessa maluquice que sempre foi. O bom é mau e o mau é a-pessoa-mais-incrivelmente-fofa-que-conheço. É preciso alguns tropeços para bater de frente com a cara-de-pau e se tocar de que lá dentro sempre foi oco.” — Rio doce. (via riotorto)

“Talvez ter amnésia não seja tão ruim assim.” — TM  (via afetuar)